Viajar para esquecer ou para mudar a vida?

Ruas desertas de Rijeka, Croácia.
Em meio ao vazio, encontro uma obra (isso sim é arte) que mostra um corpo em movimento, porém estático.

Essa imagem me remeteu ao famoso “viajar sem sair do lugar”.
É o que muitos de nós fazemos, pois nunca estamos 100% contentes com o lugar onde estamos ou temos que estar.

Seria ilusão sair por aí, pelo mundo e sentir-se melhor?
Afinal, em vidas normais, de seres humanos comuns, teremos sempre que voltar.

Antes de pensarmos em vivermos em movimento pelo globo, devemos movimentar nossas vidas, fazendo o melhor para vivermos felizes no lugar possível, onde temos nossas raízes, ao lado de quem amamos, fazendo o que gostamos ou tentando achar algo que nos satisfaça.

Porém, viver sem novas descobertas não é razoável. O mundo pode nos mostrar muito mais do que imaginamos existir, pode nos ensinar muito mais do que temos como o correto.

Deve haver equilíbrio no lugar onde precisamos estar, em nossas vidas normais.
Problemas já temos de monte para chutar todos os dias.

A experiência do cair no mundo pode ser frustrada quando vivemos e deixamos pra trás vidas sem equilíbrio, sem harmonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *